Domingo, 20 de Junho de 2021
83 99868-8794
Anúncio
Brasil BRASIL

Pai se confunde e registra duas filhas com o mesmo nome em Minas Gerais

O registro poderia ter sido feito no cartório da unidade de saúde, mas o departamento estava fechado em função da pandemia de covid-19.

29/05/2021 09h52
Por: Mídia Paraíba Fonte: Pai se confunde e registra duas filhas com o mesmo nome em Minas Gerais
Pai se confunde e registra duas filhas com o mesmo nome em Minas Gerais

O registro de nascimento, que seria uma situação comum na vida de um casal após a chegada de um filho, se tornou um acontecimento cômico que não será esquecido por uma família de Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte.

O pai, responsável pela missão, se confundiu na hora de preencher os documentos no cartório e registrou a recém-nascida com o mesmo nome da filha mais velha, de 3 anos.

A mãe das crianças, a escritora Carol Christo, contou ao R7 que soube da confusão por telefone. O marido, escultor Armando Bianchetti, fez questão de ligar logo após perceber o mal-entendido.

— Ele me ligou de um lugar muito barulhento e mal dava para escutá-lo. Ele só me disse: “Carol, eu escrevi o nome errado. Agora a gente tem duas Ninas”.

Ao chegar em casa, Bianchetti detalhou a história para a esposa e a reação que teve ao descobrir a falha. Carol Christo filmou o momento da explicação e divulgou em uma rede social. O relato caiu nas graças dos internautas.

— Em vez de colocar Mia Chisto Bianchetti, eu coloquei Nina Chisto Bianchetti. Eles imprimiram e a moça pediu para eu conferir o nome que estava Nina. Eu falei: "Nina? Não! Eu escrevi isso?". Ela respondeu que sim.

Correção

Para alívio do casal, os tabeliães conseguiram entrar no sistema poucas horas depois e corrigir tanto o erro do registro civil, quanto do CPF (Cadastro de Pessoa Física) que também havia sido emitido com o nome trocado. Mas os problemas não foram apenas estes.

— A confusão foi tamanha que ele também escreveu que ela nasceu em 2022.

Carol Christo lembra que o nome Mia para a filha nascida no último dia 17 de maio foi escolhido em comum acordo pelo casal e o documento do hospital indicava a grafia correta. O registro poderia ter sido feito no cartório da unidade de saúde, mas o departamento estava fechado em função da pandemia de covid-19.

De posse do registro correto e após o bebê voltar a se chamar Mia, a escritora aliviou a barra do marido e reconheceu que a família passava por uma semana difícil.

— A minha outra filha, a Nina, ficou doente e eu pedi para o meu marido ir ao cartório fazer o registro da recém-nascida. Acho que ele estava com nome da Nina na cabeça. Foi a privação de sono. Eu nem sabia que era possível ter duas filhas com o mesmo nome. Já imaginou? Agora está tudo certinho.

Ele1 - Criar site de notícias