Segunda, 25 de Janeiro de 2021
83 99868-8794
Anúncio
Saúde PANDEMIA

Grávidas e lactantes não poderão receber vacinação contra a Covid-19, diz chefe de imunização da Secretaria de Saúde de João Pessoa

Motivo pelo qual não poderá ser aplicada, uma vez que pode apresentar risco de má formação fetal, entre outras consequências", explicou.

14/12/2020 17h52
Por: Mídia Paraíba Fonte: Por Emmanuela Leite
Esse cenário de exclusão não é só específico da vacina contra a Covid-19. (Foto: reprodução)
Esse cenário de exclusão não é só específico da vacina contra a Covid-19. (Foto: reprodução)

Um dos grupos com maior expectativa para receber a vacinação contra a Covid-19, as gestantes e lactantes estão de fora dos primeiros ciclos de imunização. Em entrevista ao Portal ClickPB, nesta segunda-feira (14), o coordenador de imunização da Secretaria de Saúde do Município, Fernando Virgulino, explicou que as vacinas disponíveis e prestes a chegar no país no final de dezembro e início de janeiro não poderão ser aplicadas nas futuras mamães, nem muito menos, em quem amamenta. 

De acordo com ele, não existem testes nem ensaios que comprovem o real risco dessa vacina para esses grupos. "Até o momento nenhuma vacina que foi apresentada teve testes em mulheres grávidas ou lactantes. Motivo pelo qual não poderá ser aplicada, uma vez que pode apresentar risco de má formação fetal, entre outras consequências", explicou.

Esse cenário de exclusão não é só específico da vacina contra a Covid-19. Segundo o coordenador, de todas as vacinas disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS) apenas quatro são recomendadas para gestantes e lactantes que são: Hepatite B, DT, Influenza e DTPA.  "É assim com todas as vacinas. As gestantes e lactantes por não fazerem parte do grupo de pesquisa com seres humanos, tem sempre essa limitação quando surge uma vacina nova".

"Ainda não se tem um estudo específico nesses grupos. Possa ser que futuramente quando reforçarem mais as pesquisas as gestantes e lactantes possam ser imunizadas e possa ser que alguma das que estão em estudo possa mudar esse quadro. A maioria das vacinas são proibidas para esses grupos, a exemplo da Tríplice Viral e a Febre Amarela, essa última com a ressalva para lactantes que tenham viagens para áreas de risco, assim mesmo, elas devem suspender a amamentação por pelo menos 10 dias seguidos", esclareceu o gestor.    

Ele1 - Criar site de notícias