Anúncio
9 DIAS

Bebê morta em batida estava em carro para não se assustar com barulho de fogos do Ano Novo

O policial foi levado para a delegacia e, em seguida, encaminhado ao Presídio Militar

02/01/2020 12h11
Por: Redacao
Fonte: Por G1 Sorocaba e Jundiaí
Mãe e bebê estavam em carro estacionado na frente de casa (Foto: Reprodução)
Mãe e bebê estavam em carro estacionado na frente de casa (Foto: Reprodução)

A recém-nascida Viviane Sodré da Silva, de 9 dias, que morreu em uma colisão em Itatiba (SP), tinha sido levada ao carro - estacionado na rua - para não se assustar com o barulho dos fogos do réveillon, segundo informações do pai da bebê. O veículo foi atingido na traseira por outro, dirigido por um policial militar, que foi detido por dirigir embriagado.

Uma equipe da PM constatou os sinais de embriaguez em Robson Fabiano Gabriel, de 47 anos. O G1 ainda não conseguiu localizar a defesa do policial militar, que era cabo e atuava no Corpo de Bombeiros em Campinas (SP).

Segundo o pai de Viviane, Juliano Chavier da Silva, por volta de meia-noite a mulher levou a bebê e a filha de 3 anos para o carro, que estava parado na porta da casa da família, na Rua Angelina Zupardo Carneiro, no Jardim Santa Filomena II.

"Minha mulher ficou no banco da frente com os vidros fechados e veio o policial", conta. Juliano Silva lembra que o policial bateu primeiro em outro carro que estava estacionado na mesma rua e depois atingiu o carro dele, onde estavam a esposa e as filhas.
A mãe estava amamentando a bebê dentro do carro para acalmá-la por conta do barulho dos fogos de artifício da virada de ano.

De acordo com a polícia, as três foram socorridas e levadas para a Santa Casa de Itatiba. A mãe não ficou ferida, a garota de 3 anos sofreu uma lesão na testa e já teve alta do hospital. A bebê bateu a cabeça no para-brisa e passou por cirurgia, mas não resistiu.

O policial foi levado para a delegacia e, em seguida, encaminhado ao Presídio Militar Romão Gomes, em São Paulo. Em nota, a Polícia Militar disse que acompanha o andamento das investigações.

O boletim de ocorrência, registrado antes da morte de Viviane, diz que ele vai responder por lesão corporal culposa (quando não há intenção de cometer o crime) na direção de veículo automotor e embriaguez ao volante.

O corpo de Viviane foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Jundiaí (SP) e aguarda liberação para ser enterrado no Cemitério Municipal de Itatiba.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários