Anúncio
CRIME

Marido invade casa de vizinho e mata esposa a tiros após briga

“É o que sempre falamos, violência doméstica, ameaça, a mulher não pode se calar, tem que denunciar. Porque é a segurança dela e os filhos”, afirma o tenente da polícia.

11/11/2019 16h47Atualizado há 1 mês
Por: Redacao
Fonte: Do G1

Um homem invadiu a casa de um vizinho e matou a esposa a tiros neste domingo (10), em Piranguçu (MG). A vítima, Adriana Aparecida Siqueira da Silva, de 38 anos, entrou na casa do vizinho, no Bairro Correinha, para fugir do marido, que a ameaçou com uma arma durante uma briga.

Segundo a Polícia Militar, o homem, identificado como Sidiney Márcio dos Santos, conseguiu entrar na casa e atirou duas vezes contra a cabeça da mulher. Em seguida, ele se matou com um tiro na boca.

O vizinho também é tio de Adriana. A polícia foi chamada e uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi até o local, mas os dois já estavam mortos.

A perícia apreendeu no local a arma usada no crime e cinco munições calibre 38. “Nós obtivemos informações de que esse revólver calibre 38 estava com ele de forma irregular. Foi apreendido, não tem ainda informações da origem, mas temos informações que outro indivíduo, de uma cidade próxima, havia comprado no mesmo dia outras munições de mesmo calibre com Sidiney”, explicou o tenente da PM Carlos Eduardo Gomes Simão.

“Chegamos a essa segunda pessoa, que havia repassado as munições a um terceiro. Chegamos a essa terceira pessoa durante a madrugada. Fizemos a apreensão do celular desses dois indivíduos e o encaminhamento para a delegacia. Eles vão responder pelo porte de munição, venda ilegal e ver se eles têm alguma relação com as mortes”, detalhou

Ameaças

Segundo a família, o casal enfrentava problemas há cerca de um mês e o homem já havia ameaçado a mulher de morte. No entanto, a vítima não havia registrado boletim de ocorrência contra o marido por medo de represálias contra os dois filhos do casal.

“É o que sempre falamos, violência doméstica, ameaça, a mulher não pode se calar, tem que denunciar. Porque é a segurança dela e os filhos”, afirma o tenente da polícia.

Os corpos foram levados para o Instituto Médico Legal de Itajubá (MG). Os celulares da vítima e do marido foram apreendidos. A Polícia Civil abriu inquérito e vai ouvir testemunhas.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários