Anúncio
OPERAÇÃO FAMINTOS

‘Famintos’: Conversa interceptada pela PF aponta que empresário da PB pagava propina a professor

No diálogo, interceptado pela Polícia Federal, o professor de uma escola pública diz que recebe quase R$ 700 por mês do fornecedor dos produtos da escola.

20/09/2019 17h43Atualizado há 4 semanas
Por: Redacao
Fonte: G1

Um conversa por meio de ligação telefônica revela o pagamento de uma suposta propina para um professor por um empresário investigado na Operação Famintos. A investigação desarticulou um esquema de fraudes em licitações e desvio de verba na merenda escolar em Campina Grande. No diálogo, interceptado pela Polícia Federal, o professor de uma escola pública diz que recebe quase R$ 700 por mês do fornecedor dos produtos da escola. A gravação foi feita, com autorização da Justiça, em maio deste ano.

 
 

 

Durante o diálogo, o professor pede ao empresário um aumento no valor recebido. Ele diz que precisa que o empresário aumente a suposta propina para R$ 1 mil, alegando que o valor aumentado será repassado para um colega de trabalho. O colega, de acordo com a gravação, teria auxiliado o professor no processo de reeleição para o conselho escolar.

  • Professor: Eu queria fazer um pedido ao amigo.
  • Empresário: Diga lá.
  • Professor: Olhe, eu ganhei de novo a eleição a duras penas. Eu vou ficar mais dois anos.
  • Empresário: Ô coisa boa.
  • Professor: A partir de setembro termina esse
  • meu mandato… Aí, o que é que acontece… Tu sabe que sou muito verdadeiro contigo.
  • Empresário: Humhum.
  • Professor: Eu tive um apoio de um professor que é meu vice-presidente do conselho. Muito forte lá.
  • Empresário: Ahnhã.
  • Professor: Pra me poder me permanecer lá, tudo isso.
  • Empresário: Hum.
  • Professor: Aí, não tem aquele negocinho da carne que você me dá todo mês?
  • Empresário: Hum.
  • Professor: Aquela diferençazinha que dá quase setecentos reais?
  • Empresário: É.
  • Professor: Aí, eu queria saber de você se era possível fechar umas comprinha de mil todo mês?
  • Empresário: A gente vai e aumenta lá… alguma coisinha que seja lá.
  • Professor: Porque eu pegava, eu dava um negocinho a ele, sabe?
  • Empresário: Pronto. Eu boto e dou uma aumentada nas compras lá, fecha no negócio lá.
  • Professor: É, porque assim, é… setecentos, mais ou menos já dá de carne, né? A diferençazinha que tu me dá.
  • Empresário: É, a gente aumenta na nota, porque eu não posso dar mais do que esse valor não. Eu já tô dando muito, que ninguém dá isso não.
  • Professor: É, aí, eu…
  • Empresário: Só quem dá isso, só quem dá isso sou eu. Ninguém dá não, viu.
  • Professor: É, eu sei. Aí eu vou pegar, eu vou. Tem que dar uma ajuda a ele, sabe? Todo mês dar um negocinho a ele.
  • Empresário: Pronto. Tá bom. Ok.
  • Professor: Aí, quando tu me repassar o negócio… no mês, eu repasso pra ele também.
  • Empresário: Ok. Pois tá bom.
Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Anúncio
Municípios
Últimas notícias
Mais lidas