Anúncio
CRIME

Acusado de matar a namorada confessa ter asfixiado Gisele após discussão por causa de telefonema

A perícia realizada no corpo da jovem confirmou que ela foi assassinada por asfixia.

26/12/2018 07h39Atualizado há 6 meses
Por: Redacao
Fonte: Por Redação
Lucas Pereira (Foto: Reprodução)
Lucas Pereira (Foto: Reprodução)

O suspeito de matar a namorada Gisele Medeiros, 24 anos, asfixiada na manhã desta terça-feira (25) no bairro do Róger, em João Pessoa, confessou em depoimento à Polícia Civil ter cometido o crime após uma discussão por causa de uma ligação telefônica. Lucas Pereira, 25 anos, estava namorando Gisele há um mês. 

Lucas Pereira foi localizado dormindo na casa da avó, na Rua Santo Amaro, no Bairro dos Novais. Ele foi preso em flagrante.

O depoimento foi dado no início da noite desta terça-feira ao delegado Diego Garcia. Segundo o acusado, a primeira discussão aconteceu por volta das 23h da segunda-feira (24) durante a festa de Natal, quando ela teria encontrado uma ligação em seu celular. Para evitar outra confusão, ele alegou que foi dormir e a deixou com as amigas.

Lucas disse ao delegado que Gisele o teria acordado durante a madrugada e voltado a brigar, e foi quando ele a asfixiou, voltando a ir dormir quando ela ficou desacordada. Ele alega não ter percebido que a namorada havia morrido. Segundo Lucas, os dois haviam consumido cocaína e bebidas.

A perícia realizada no corpo da jovem confirmou que ela foi assassinada por asfixia. Foram identificados hematomas no braço e abdômen da jovem, e resquícios de vômito e sangue nas cavidades nasal e oral. 

Lucas também é acusado de participar do assalto a uma pizzaria que terminou com agressão à proprietária do estabelecimento no bairro Ernani Sátiro, na Capital, em agosto deste ano.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários