Terça, 18 de setembro de 2018
83 99868-8794
Polícia

04/09/2018 ás 21h55

Redacao

Teresina / PI

Gaeco denuncia dirigentes do Botafogo e do Campinense investigados na Operação Cartola
Processos foram distribuídos para a 4ª Vara Criminal da comarca de João Pessoa. Operação Cartola investigou esquema de fraudes e manipulação de resultados de jogos mantido por uma suposta organização criminosa, na Paraíba.
Gaeco denuncia dirigentes do Botafogo e do Campinense investigados na Operação Cartola
Operação Cartola investiga esquema de manipulação de resultados de jogos (Foto: Ilustrativa)

O Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Estado da Paraíba (MPPB), denunciou à Justiça, nessa segunda-feira (03), os clubes Botafogo e o Campinense, pelos crimes investigados na Operação Cartola, deflagrada pela Polícia Civil, que desarticulou um esquema de fraudes e manipulação de resultados de jogos mantido por uma suposta organização criminosa, na Paraíba. O Portal ClickPB teve acesso com exclusividade, nesta terça-feira (04), às peças que pedem a condenação criminal dos envolvidos. 


Entre as condutas-fim apontadas no inquérito como prática dos integrantes da organização, estão ainda fraude no sorteio de arbitragem, favorecimento e proteção em decisões da Justiça Desportiva. 


Do Botafogo, foram denunciados o presidente do clube, José Freire da Costa (Zezinho do Botafogo); Breno Morais Almeida; o vice-presidente Guilherme Carvalho do Nascimento (Novinho); Francisco de Sales Pinto Neto (diretor); Alexandre Cavalcanti Andrade de Araújo (procurador do Botafogo); Alex Fabiano dos Santos; José Renato Albuquerque Soares (Zé Renato); e Tarcísio José de Souza (Galeguinho). 


O Ministério Público pede o recebimento da denúncia que requer a condenação dos envolvidos e a destituição de todos os réus que ocuparem cargos na entidade desportiva, o Botafogo Futebol Clube.  


Já do Campinense, foram denunciados José William Simões Nilo; Danilo Ramos da Silva (Danilo Corisco); e Francisco Carlos do Nascimento (Chicão). 


O Ministério Público também pede o acolhimento da denúncia, para instauração do processo penal-constitucional, visando à condenação, e a destituição do presidente do Campinense José William Simões Nilo.   


As denúncias são assinadas pelo coordenador do Gaeco, promotor de justiça Octávio Paulo Neto, e demais promotores membros do órgão. Ambos os processos, do Botafogo e do Campinense, foram distribuídos para a 4ª Vara Criminal da comarca de João Pessoa. 

FONTE: ClickPB

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium