Anúncio
JULGAMENTO

Condenado a 17 anos de prisão o acusado de matar Érica Vanessa

Érica foi morta no dia 24 de abril de 2014 dentro do próprio apartamento, no bairro do Bessa

10/08/2018 07h12Atualizado há 10 meses
Por: Redacao
Fonte: Por Nice Almeida/Portalcorreio
Erica Vanessa foi morta em 2014 com um tiro no rosto (Foto: Arquivo)
Erica Vanessa foi morta em 2014 com um tiro no rosto (Foto: Arquivo)

Dezessete anos de prisão em regime fechado. Foi essa a sentença proferida ao bacharel em direito, José Itamar de Lima Montenegro Júnior, acusado de matar a namorada, também bacharel em direito, Érica Vanessa de Souza Lira, em João Pessoa, em 2014. Apesar da O juri popular que decidiu o destino de José Itamar foi iniciado nessa quinta-feira (9) e só terminou na manhã desta sexta-feira (10), 14 horas depois de começar. A defesa do acusado disse que vai recorrer da decisão. Já a família de Érica quer derrubar a decisão dele poder recorrer em liberdade.

Érica tinha 32 anos quando foi morta no dia 24 de abril de 2014 dentro do próprio apartamento, no bairro do Bessa, com um tiro no rosto. À época, ela chegou a ser socorrida para o Hospital de Emergência e Trauma e saiu de casa andando, mas o ferimento se agravou e, no dia 5 de maio, ela morreu.

José Itamar foi preso no dia 29 de abril após se apresentar na Delegacia de Homicídios com um grupo de advogados para prestar depoimento sobre o caso. Nessa data, em depoimento à Delegacia de Homicídios, na presença de advogados, ele informou que ele e Erika Vanessa estariam em uma discussão, quando caíram na cama e ela teria tentado pegar a arma, causando um disparo acidental.

Porém, os exames não confirmam isso. Conforme a polícia, à época, o tiro foi disparado a mais de um metro de distância da vítima, o que indicou um tiro proposital. A conclusão médico-legal deixou claro que a causa da morte de Érika Vanessa foi o tiro.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários