Sábado, 21 de julho de 2018
83 99868-8794
Brasil

08/07/2018 ás 19h58 - atualizada em 08/07/2018 ás 20h09

24

Redacao

Teresina / PI

Após vai e vem, presidente do TRF4 mantém Lula preso
Polêmica judicial teve início com a decisão do desembargador plantonista Rogério Favreto conceder habeas corpus para soltar o ex-presidente
Após vai e vem, presidente do TRF4 mantém Lula preso
Thompson Flores decidiu manter Lula preso Flickr/TRF4

O presidente do TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), Thompson Flores, decidiu manter a decisão do relator da Lava Jato João Pedro Gebran Neto que, suspendeu ordem de habeas corpus que havia sido dada neste domingo (8) pelo plantonista da Corte, desembargador Rogério Favreto, em favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O petista continuará preso.


Habeas corpus de Lula chegou 32 minutos após início do plantão




 

PUBLICIDADE




Mesmo depois de o relator da Lava Jato no TRF4, João Pedro Gebran Neto, desautorizar ordem para libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o desembargador Rogério Favreto, plantonista na Corte, insistiu em acolher pedido de habeas do petista, às 16h04 deste domingo.


Cármen Lúcia: rito judicial não pode ter quebra de hierarquia


Neste domingo, o desembargador plantonista mandou soltar Lula acolhendo pedido de habeas corpus impetrado por um grupo de advogados petistas. Após a decisão, Moro, que está em férias, afirmou que Rogério Favreto não tinha competência para tomar contrariar decisões colegiadas do TRF4 e do STF (Supremo Tribunal Federal).


 

Instado a se manifestar, o relator natural do caso, João Pedro Gebran Neto, desautorizou ordem para libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.


O desembargador Rogério Favreto, plantonista na Corte, insistiu em acolher pedido de habeas do petista e, às 16h04 deste domingo, determinou novamente que o ex-presidente Lula fosse solto.


Desembargador Favreto já fez selfie com ex-presidente Lula


Favreto foi filiado ao PT de 1991 a 2010 e procurador da prefeitura de Porto Alegre na gestão Tarso Genro nos anos 1990. Depois, foi assessor da Casa Civil no governo Lula e do Ministério da Justiça quando Tarso era ministro, também no governo daquele a quem concedeu soltura.

FONTE: Paulo Lima, do R7, com Agência Estado

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium